Por que levar a construção para a Fábrica?

A indústria da construção é considerada uma das mais antigas indústrias e por muito tempo técnicas rudimentares comandaram o processo de construção. E isso acontece até hoje.

Para entender melhor, imagine uma indústria de automóveis – um ambiente organizado, limpo e dispondo de alta tecnologia.

Indústria Automobilística

Agora imagine um canteiro de obras – essa é a indústria da Construção Civil.

Indústria da Construção Civil

Quando comparamos com a indústria automobilística, fica fácil perceber alguns aspectos artesanais da indústria da construção. Não podemos deixar de considerar que essas indústrias possuem características particulares mas a forma como os automóveis são produzidos pode sim ser uma referencia no modo como são produzidas as construções. Vamos entender melhor analisando as diferenças entre esses dois cenários.

Qual é a diferença entre essas duas indústrias?

A principal diferença está no modo como essas indústrias fabricam os seus produtos. Na indústria automobilística, o automóvel é produzido em fábrica e então é distribuído aos consumidores. Ou seja, a fábrica é um local fixo e o produto é que se move.

Já na indústria da construção, para cada edificação a ser construída, é montado o que chamamos de canteiro de obras. Ou seja, em cada construção uma espécie de fábrica é elaborada para a execução da obra. Assim, temos que o produto da indústria da construção é a própria edificação e a fábrica é o canteiro de obras. O que nos leva a concluir que o produto é fixo e a fábrica é que se move.

Comparação entre a indústria automobilística e a indústria da construção

Como percebemos, a lógica se inverte na comparação entre essas duas indústrias. Poderíamos então, assim como na indústria automobilística, produzir a construção em uma fábrica? Sim, isso não só é possível como já é uma realidade! Mas antes de você conhecer algumas empresas que atuam dessa forma, é importante entender o que é construir em fábrica.

Industrialização da construção

Ao levar a construção para a fábrica, estamos aumentando o nível de industrialização do processo. Passamos a deixar de construir tijolo por tijolo no canteiro de obra para então produzir peças inteiras dentro da fábrica. Ou seja, é assim que deixamos de construir de forma artesanal para construir de forma ágil e inteligente. E isso é pré fabricar a construção.

Afinal, o que é uma construção pré fabricada?

A construção pré fabricada nada mais é do que a produção em fábrica das partes da construção para então, serem montadas e conectadas entre si no local da obra.

Esquema de um processo de pré fabricação da construção

Ainda, existem diferentes níveis de industrialização. É possível, por exemplo, produzir uma casa em fábrica e transportá-la inteiramente pronta.

Na K.BANA optamos por produzir partes da construção, como paredes, piso e cobertura e conectá-las no local da obra. Para isso, escolhemos o wood frame como tecnologia construtiva.

Vantagens da construção industrializada

Construir dentro de uma fábrica pode trazer diversas vantagens. Uma delas é a produção independente das condições climáticas. Ou seja, faça chuva ou faça sol a construção não para. Mas não é só isso! A construção industrializada também permite uma melhor gestão sob diversos aspectos como no consumo de materiais e na geração de resíduos. Isso acarreta um maior controle na qualidade do produto, nos custos e nos prazos. Assim, evitam-se as famosas surpresas no decorrer de uma obra.

Portanto, a pré fabricação é uma alternativa aos métodos tradicionais de construção e que permite inúmeras melhorias na forma como construímos.

Pode parecer muito inovador construir dessa forma não é mesmo? Mas saiba que em outros países isso já é realidade há um bom tempo. E no Brasil, mesmo com uma atuação pouco expressiva, já existem empresas que desenvolvem esse processo com excelência.

Empresas que já atuam dessa forma:

A Huf Haus é uma empresa alemã fundada em 1912 e é considerada uma empresa pioneira na construção de casas pré fabricadas. Ao longo dos seus 107 anos de história, a empresa sempre buscou por inovação no mercado e eles acabaram se tornando uma marca de luxo na construção de casas as quais são entregues em diversas partes do mundo. A característica principal que compõe a arquitetura dessas casas é o uso da madeira e do vidro.

Modelo de casa da Huf Haus

Nas “Huf Houses” os elementos da construção são transportados em caixas e montados no local da obra. Dependendo do projeto, a montagem é concluída em apenas um mês e sem gerar resíduos.

Aqui no Brasil, a Tecverde nasceu em 2009 com o propósito de tornar o setor da construção civil cada vez mais industrializado. A fábrica da Tecverde é considerada a mais automatizada da America Latina e ela fica em Araucária no Paraná. A Tecverde produz as peças da construção para então transportá-las ao canteiro de obra para montagem.

Em 2016, a Tecverde foi responsável pela construção do primeiro prédio em wood frame no Brasil. E aqui a gente percebe o ganho em tempo de execução que uma construção assim pode proporcionar. O empreendimento possui 2 edifícios com 12 apartamentos distribuídos em 3 pavimentos. Uma das torres foi finalizada em apenas 40 horas!

Construção do primeiro prédio em woodframe no Brasil – Tecverde

Agora que você já sabe o que é aumentar o nível da industrialização da construção eu convido você a ler sobre uma tecnologia que permite maior produtividade na hora de construir. Essa tecnologia é o wood frame e ele é utilizado na construção das K.BANAs. É só clicar aqui.

Ficou com alguma dúvida? Vem falar com a gente, a gente aaama conversar!

isabela@querokbana.com.br

Fontes:

Huf Haus

Karla Cunha

Tecverde

Gazeta do Povo

Cabanas para se aventurar pelo mundo

Quem aqui desejaria fugir da correria das cidades e se refugiar pela natureza? Te convidamos a dar uma volta pelo mundo e conhecer as cabanas que não abrem mão da sofisticação mesmo distantes dos centros urbanos.

Nosso primeiro destino

O primeiro destino da nossa viagem é a Noruega. Lá encontramos um complexo de cabanas cercadas pela natureza, nas próximas imagens você vai ver a beleza dessa combinação.

A fachada de vidro aumenta o contato com a natureza

Essa Cabana foi projetada pelo escritório de arquitetura Reiulf Ramstad Arkitekter que fica em Oslo, capital da Noruega. Aqui o cliente quis um espaço que pudesse acomodar a família toda e que de alguma forma possuísse divisões entre os espaços. A solução foi agrupar 3 estruturas as quais podem ser usadas individualmente e que em conjunto formam um só complexo. São 3 cabanas que formam uma só construção.

O interior dessas Cabanas é apaixonante. O uso da madeira harmoniza o ambiente.

Ficamos apaixonados pelo revestimento dessa Cabana e vocês?

Pelas montanhas da Itália

Vamos descer pelo continente europeu e chegaremos nas montanhas italianas. Aqui a paisagem chama a atenção pelas montanhas cobertas pela neve.

Perceba que a estrutura fica em balanço o que dá ainda mais beleza para a construção

Essa cabana de montanha foi projetada em 2015 e fica nas Dolomitas – cordilheira localizada no nordeste da Itália. Aqui foi instalado um restaurante junto à estação de Oberholz com conexão direta à pista de esqui. A estrutura possui 3 ramos principais e cada um deles está voltado para as três montanhas mais importantes: Mendola, Corno Nero e Corno Bianco.

No interior, a estrutura é de madeira curvilínea que gradualmente desaparece nas paredes. Toda a cabana é construída com madeira: elementos estruturais e interiores em abeto e móveis em carvalho.

E tem mais! Essa estrutura ainda conta com um espaço ao ar livre que valoriza a paisagem. Um espaço que combina com um vinho e boas conversas.

Mais uma Cabana na neve

Para finalizar a nossa viagem, vamos ao continente americano conhecer duas Cabanas Canadenses.

Estas Cabanas ficam a 60 minutos a sudeste da cidade de Quebec e ficam próximas a uma estação de esqui. Possuem fachada de madeira e vidro, telhado de zinco e oferecem um espaço interior com um mezanino no andar de cima. Tudo inspirado na arquitetura escandinava contemporânea – arquitetura que preza pela simplicidade, funcionalidade e beleza.


Essas são algumas Cabanas que inspiram o time K.BANA. Ficou com vontade de fugir para um cantinho desses? Se você é como nós, apaixonados por Cabanas, tenho uma sugestão de série da Netflix para você: Cabanas Nada Básicas com Dick StrawBridge.

Ficou com alguma dúvida? Vem falar com a gente, a gente aaama conversar!

isabela@querokbana.com.br

Fontes:

Reiulf Ramstad Arkitekter

Arch Daily

Oberholz Mountain Hut

Espaces

Tiny House: Casa sobre rodas?

Sim! O termo Tiny House, nas suas versões mais populares, se refere a uma habitação de pequeno porte que tem como base uma plataforma sobre rodas. Mas não é só isso. Nesse texto você vai ver que tiny house é ainda mais do que uma “mini casa sobre rodas”, é um estilo de vida!

Que moda é essa?

Foi nos Estados Unidos que esse movimento surgiu e ganhou força. Hoje já existem diversas empresas ao redor do mundo especializadas na construção dessas pequenas casas. Mas afinal quão pequena é uma tiny house? Até 2017, não se tinha uma definição exata até que o ICC (International Code Concil) aprovou a seguinte definição:

Tiny House é qualquer habitação não maior do que 37 m² de área de chão excluindo os lofts.

Ou seja, uma tiny house não passa de 37 m² de área térrea, não considerando áreas como de mezanino por exemplo. É importante destacar também que as tiny houses precisam ser leves pois elas serão transportadas eventualmente e é o tipo de construção dessas pequenas casas que garante o seu peso ideal. Normalmente, as tiny houses são construídas em wood frame ou steel frame que são construções leves. O wood frame usa como material principal a madeira e é o sistema que nós escolhemos para a K.BANA. O steel frame se assemelha ao wood frame porém usa aço para os elementos estruturais internos.

Mas não para por aí! O movimento Tiny House também se refere a um estilo de vida – o de viver mais com menos. É sobre viver simples, aproveitar o mundo lá fora e é também conectar as pessoas dentro de um lar. O movimento incentiva a simplificação no estilo de vida, a libertação da ideia de que temos que ter casas enormes e arcar com custos cada vez maiores.

Às vezes precisamos pensar pequeno (tiny) para viver grande.

Essa frase é da empresa Wind River que você conhecerá nas próximas fotos. E aí, já está inspirado para viver esse estilo de vida? Nas fotos seguintes eu mostro algumas tiny houses que ganharam destaque pelo mundo – não tem como não querer uma 🙂

Lykke da empresa Wind River

Essa Tiny House é da empresa americana Wind River e o nome dela é Lykke, uma palavra dinamarquesa que significa felicidade. Vamos conhecer o interior dela?

Percebam os detalhes em madeira; ali no mezanino fica o quarto
O quarto oferece todo o conforto que uma pessoa precisa e nada mais!
Aqui todos os espaços são aproveitados

A próxima tiny house é de um país vizinho nosso. A empresa Tiny House Uruguay tem a proposta de construir casas confortáveis, funcionais, com grande qualidade e estilo.

Por fora parece tão pequena, por dentro tão grande
Agora deu vontade de sentar nesse sofá e tomar um café
E não é que cabe todo mundo e com todo o conforto?
Enfim o quarto!

E finalmente a última tiny house que é a imagem de destaque desse texto: a Sojourner. Sojourn significa descansar, morar ou permanecer. Essa tiny house é da empresa australiana Hauslein e possui 28,5 m².

Sojourner da empresa australiana Hauslein

Essa tiny house preza pela funcionalidade de seus espaços sem abrir mão do máximo conforto.

Os detalhes em madeira dão um toque de requinte
Os espaços são amplos e nem parece que tudo isso está em 28,5 m²
No quarto, um espaço que exala conforto

Ficou com vontade de ter um cantinho desses? A gente também 🙂 No próximo post eu mostrarei algumas cabanas para se aventurar sem abrir mão do conforto. Até lá!

Ficou com alguma dúvida? Vem falar com a gente, a gente aaama conversar!

isabela@querokbana.com.br

Fontes:

Wind River Tiny Homes

Tiny House Uruguay

Tiny House Build

Hauslein

Tem cupim nessa madeira?

A madeira é um material natural e está sujeita ao ataque de fungos, insetos e também ao apodrecimento. Mas ela pode se tornar resistente à esses agentes. Nesse texto você vai entender como isso é possível.

Tratamento em Autoclave

Esse é o nome do processo que torna a madeira mais resistente à deterioração. Isso significa que madeira tratada é madeira com maior resistência aos agentes xilófagos – aqueles insetos que se alimentam de madeira como o famoso e temido cupim. Além disso, o tratamento também protege contra os agentes físicos como os raios ultravioletas e a umidade os quais causam micro fissuras. Essas fissuras são a porta de entrada para os agentes biológicos.

Tudo isso torna a madeira um material com durabilidade satisfatória para diversas aplicações. Assim, é de se esperar que para o uso da madeira na construção é importantíssimo o seu tratamento.

Como acontece o tratamento?

Autoclave se refere ao nome do equipamento que é utilizado para o tratamento da madeira. É nesse equipamento que acontecem reações químicas sob pressão e em elevada temperatura. Essas reações irão tornar a madeira um material resistente e durável.

É dessa forma que a madeira é colocada no Autoclave
Fonte: Embal

Nesse tratamento, a madeira é submetida à penetração de uma substância química que recebe o nome de produto preservativo. Normalmente é usado o Arseniato de Cobre Cromatado ou CCA, como também é chamado. O Arsênio é o elemento que ataca os insetos, ou seja, é o Arsênio que evita que o cupim degrade a madeira. O Cobre ataca os fungos que são os responsáveis por formar os bolores. E finalmente, o Cromo é responsável por fixar esses elementos. Tudo isso constituí o produto preservativo que, com a pressão do autoclave ele é penetrado de maneira profunda na madeira.

O processo inicia quando a madeira, dentro do autoclave, sofre a retirada da maior parte do ar e da umidade que ficam no seu interior. Essa etapa é feita a vácuo e em seguida, sob alta pressão, o produto preservativo penetra nas camadas mais profundas da madeira. Ao final, o excesso do produto que fica na superfície da madeira é retirado.

Resultado de uma madeira tratada

Depois de tratada, a madeira fica resistente aos fungos, aos insetos e ainda pode ficar exposta às condições do tempo sem sofrer deterioração. Assim, a madeira mantém as suas propriedades mecânicas e atinge uma durabilidade estimada em 50 anos.

Então, o temido cupim pode sim aparecer na madeira. E sim, a madeira pode apodrecer, embolorar e fissurar em pouco tempo. Mas com o tratamento em autoclave, a madeira pode ter a sua vida útil estendida em décadas.


No próximo post eu contarei sobre o movimento tiny house. Você vai querer um cantinho para viver os seus melhores momentos depois de ler esse texto. Até lá!

Ficou com alguma dúvida sobre o tratamento da madeira? Vem falar com a gente, a gente aaama conversar!

isabela@querokbana.com.br

Fontes:

SILVA, J. P. A. G. Especificações de Tratamento de Preservação para Elementos de Madeira

EMBAL

E se a sua casa fosse de madeira?

Quem aqui apostaria na madeira como um material com alto potencial para construções resistentes e seguras? Nesse texto, eu te mostro que essa pode ser uma aposta inteligente.

Você já parou para pensar sobre os problemas que uma casa de madeira pode ter? 

Fissuras? Frestas? Chiado de madeira?

Se isso vem à sua mente, possivelmente você tem uma memória sobre construções em madeira que remete àquelas construções de tábua de madeira, típicas da casa da vó. Essa memória está relacionada a algumas técnicas arcaicas de construção em madeira que foram muito utilizadas ao longo da história do nosso país.

Como é construir com madeira no Brasil?

O Brasil é um país com grande potencial florestal e para você ter uma noção disso, o Brasil só perde para a Rússia em cobertura florestal. Isso favorece a capacidade madeireira do nosso país para o setor da construção. Mas quando o assunto é usar madeira para construir, vish… Ainda existe uma forte barreira cultural. Você sabe o porquê?

Aqui no Brasil, a madeira como material construtivo é usada desde o período pré-colonial, recebeu influência dos indígenas e mais tarde dos imigrantes que usavam as mais diversas técnicas. Nesse cenário, as primeiras construções de madeira eram realizadas com técnicas precárias. Isso influenciou para a criação de uma imagem negativa relacionada à madeira e que persiste até hoje.

A chegada de imigrantes de diferentes partes do mundo trouxe também diferentes técnicas na construção de casas de madeira. Nas primeiras décadas do século XX, o sistema que se tornou o mais popular na época foi o de “tábua e mata-junta”. Esse é o nome da técnica que produz o tipo de construção que comumente as pessoas associam a construção de madeira. A principal característica desse sistema é a vedação das paredes com tábuas pregadas no sentido vertical. Esse tipo de construção é muito utilizado para habitações temporárias e baratas. E essa é a memória que está na mente da maioria das pessoas: casas de madeira são provisórias, de baixa qualidade e são uma alternativa de baixo custo.

Mas quando a madeira recebe tratamento adequado e é usada em conjunto com outros materiais, o seu potencial para a construção é enorme. Sim, existe uma outra realidade sobre construir com madeira.

Em países da América do Norte, Ásia e Europa como Canadá, Estados Unidos, Japão e Alemanha, as construções em madeira predominam dentre as construções residenciais. Nesses países, um sistema muito utilizado é o wood frame. Você já ouviu falar nesse sistema?

WOOD FRAME

A tecnologia wood frame consiste em um sistema construtivo que utiliza elementos de madeira tratada para a estruturação da construção. Os montantes de madeira são os elementos verticais que ficam no “recheio” das paredes. Essa estrutura recebe painéis também de madeira e que são revestidos com outros materiais os quais irão proporcionar conforto térmico, acústico, além de proteger a estrutura contra as ações da chuva e das diversas condições do tempo.

Os painéis de madeira são de OSB (Oriented Strand Board) – esse é um painel estrutural formado por lascas de madeira orientadas perpendicularmente em diferentes camadas. Na produção desse painel, as lascas de madeira são prensadas e coladas com resina sob alta temperatura e pressão. Esse processo aumenta a resistência mecânica e rigidez do painel. Assim o material fica mais resistente aos impactos físicos e também à umidade. Mas calma, o painel OSB não é à prova d’água.

Então como proteger o OSB?

Na execução de uma construção em wood frame, as paredes externas recebem uma fina membrana que é chamada de membrana hidrófuga. Essa membrana é colocada sobre os painéis OSB “envelopando” toda a estrutura e ela impede a entrada de vapor de água ao mesmo tempo que permite que a estrutura respire. Esse mecanismo regula a umidade e evita a proliferação de fungos.

O que garante conforto térmico e acústico na construção de wood frame? 

Além dos painéis que fazem o fechamento da construção, é usada uma lã que atua como um “cobertor” revestindo todo o interior da estrutura. Esse revestimento pode ser feito por exemplo com lã de vidro ou lã de rocha que é colocada entre as placas de OSB. A combinação desses materiais contribui para o isolamento térmico e acústico do sistema.

E como se resolve a questão elétrica e hidráulica?

Os sistemas elétrico e hidráulico podem ser os mesmos usados em uma construção convencional. As tubulações são embutidas no interior das paredes e do piso. Tudo isso é feito antes do fechamento das paredes, assim não é necessário quebrar qualquer estrutura para passar as instalações.

E o fogo?

O fogo é um dos grandes inimigos de qualquer material de construção e o que devemos observar é a forma como os materiais reagem nas situações de incêndio. Nessas situações, as estruturas de madeira reduzem a sua seção pouco a pouco. Por outro lado, as estruturas de concreto armado perdem a rigidez e a resistência em altas temperaturas.

Ficou confuso? Vou explicar as diferenças:

A madeira queima devagar e durante a sua queima, em um primeiro momento, apenas a camada superficial queima e a uma camada de carvão se forma. Essa camada isola o material das altas temperaturas fazendo com que o interior da madeira permaneça em temperatura mais baixa, retardando o seu colapso. Ou seja, você tem mais tempo para sair da construção SE um incêndio realmente acontecer.

Já nas estruturas de concreto armado, o aço deforma em altas temperaturas. Isso significa que quando atingida determinada temperatura, a estrutura não resiste e entra em colapso sem avisar – e aí, “a casa cai”!

Ou seja, a madeira é um material combustível e por isso queima, mas leva mais tempo para perder a sua capacidade portante. Já o aço quando exposto ao fogo, perde a sua capacidade estrutural mais rápido. Tudo isso nos leva a conclusão de que TODAS as construções exigem medidas de segurança para incêndio de acordo com as características de cada material.


Além do sistema construtivo wood frame, ainda existem outras tecnologias para construções em madeira mundo afora como por exemplo o uso de Madeira Laminada Cruzada (CLT). Então sim, você pode apostar no uso da madeira para construir. No próximo post eu contarei como a madeira é tratada e o que isso afeta no seu comportamento quanto ao temido cupim. Fiquem ligados!

Ficou com alguma dúvida? Vem falar com a gente, a gente aaama conversar!

isabela@querokbana.com.br

Top